PENTECOSTES: UMA FORÇA QUE TRANSFORMA E DÁ NOVO SENTIDO


Pentecostes é uma celebração religiosa cristã que comemora a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos de Jesus Cristo. O termo “Pentecostes” originou-se do grego “pentekoste”, que significa “quinquagésimo”, em referência aos 50 dias que se sucedem depois da Páscoa. As duas festas, Ascensão e Pentecostes, devem ser celebradas dentro do único mistério da Morte e Ressurreição de Jesus.

Se assim não fosse, o evangelista João não teria colocado no seu Evangelho a Ressurreição, a Ascensão e o Pentecoste no mesmo dia “No fim desse dia, que era o primeiro da semana, estando trancadas as portas do lugar onde estavam os discípulos, com medo dos judeus, chegou Jesus. Colocou-se no meio deles e disse: ‘A Paz esteja com vocês’(...) Tendo falado isso, Jesus soprou sobre eles, dizendo: ‘Recebam o Espírito Santo” (Jo 20,19.22).

Caro leitor, certamente você está perguntado, por que então a festa de Pentecostes é celebrada cinquenta dias depois? Existem vários motivos. Vamos falar de dois. Primeiro, porque a Igreja prefere fundamentar essa festa no Evangelho de São Lucas, que coloca o Pentecostes cinquenta dias depois da ressurreição “Eis que enviarei sobre vocês o que o meu Pai prometeu. Portanto, fiquem na cidade, até serem revestidos da força do alto” (Lc 24, 49). Segundo, para valorizar solenemente as duas festas, Ascensão e Pentecostes, com catequeses próprias de cada uma. Assim os fiéis podem entender, vivenciar e celebrar de modo mais profundo e progressivamente o grande mistério de salvação.

A missão de Jesus foi realizada na força do Espírito Santo, “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu para anunciar a Boa Notícia aos pobres” (Lc 4,18a). A missão no tempo dos Apóstolos e a da Igreja hoje em nada se distingue. “Quando chegou o dia de Pentecostes, todos eles estavam reunidos no mesmo lugar. De repente veio do céu um barulho como de um vento forte, e encheu a casa onde eles estavam (...) Todos ficaram repletos do Espírito Santo” (At 2,1-2.4a).

Prezados irmãos, o primeiro pentecostes em nossa vida aconteceu no momento do Batismo “Tu és o meu Filho. Eu hoje te gerei” (Lc 3,22b). Naquele momento nós passamos a fazer parte da comunidade paroquial, Igreja de Jesus. A confirmação do Batismo, foi-nos dada na Crisma, momento em que recebemos o envio para a missão de discípulos missionários de Jesus “me ungiu para anunciar a Boa Notícia aos pobres” (Lc 4,18b). Continuar a missão de Jesus é anunciar a justiça, a misericórdia e denunciar as injustiças e os sinais de morte na sociedade. Portanto, irmãos, celebrar Pentecostes é fazer memória do Mistério Pascal de Cristo e atualizar a missão do Filho de Deus no mundo de hoje. “Vão pelo mundo todo, proclamem o Evangelho a toda criatura” (Mc 16,15). A missão é nossa. Aliás, na mensagem do dia mundial das missões, em 2019, o Papa Francisco disse: “Eu sou sempre uma missão; tu és uma missão; cada batizado é uma missão. Quem ama, põe-se em movimento, sente-se impelido para fora de si mesmo: é atraído e atrai; dá-se ao outro e tece relações que geram vida. Para o amor de Deus, ninguém é inútil nem insignificante, cada um é uma missão no mundo”.

A exemplo dos Apóstolos que transformaram o medo em coragem, o desânimo em ousadia, as incertezas em fé e anunciaram o Evangelho, hoje somos nós, chamados para reacender a esperança no coração de pessoas, aprisionadas pelo medo, pelo pecado, pela dor e pela opressão dos poderosos. O amor é a língua do Espírito Santo por excelência. Somente o amor a Deus e a caridade aos irmãos, serão capazes de transformar e dar novo sentido a nossa vida e missão.

Pe. Sebastião C.SS.R. Curvelo/MG



71 visualizações1 comentário

Basílica de São Geraldo

Site desenvolvido usando tecnologia Wix

Todos os direitos reservados.

  • YouTube
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle