CONHECENDO SÃO GERALDO MAJELA

SÃO GERALDO E A VIRGEM MARIA


São Geraldo amava profundamente à Nossa Senhora. Desde a infância foi grande devoto de Maria. Diante de sua imagem passava horas inteiras em oração, meditação e sempre à ela recorria, pedindo a sua intercessão materna.

Mas a paixão por Maria não o distanciou de Jesus e do seu Evangelho, pelo contrário, ela o ajudou a viver sua opção pelo Cristo e pelos pobres e mais abandonados. Para São Geraldo, Maria é símbolo da ternura e da bondade de Deus para com a humanidade, exemplo do fiel discípulo do Senhor, a mãe da misericórdia e a nossa advogada no céu.

No regulamento de vida de S. Geraldo encontramos este propósito:

“Escolho o Espírito Santo como meu único consolador e protetor. Ele seja meu defensor e vencedor de todas as minhas vitórias. Amém. E tu, Imaculada Virgem Maria, sejas minha única joia. Sejas minha protetora e consoladora em tudo o que me acontecer. E diante destes meus propósitos, sejas sempre minha única advogada junto de Deus”.

Há um fato muito interessante, que Pe. Braz Delfino Vieira narra com propriedade em seu livro São Geraldo Majela: “Talvez foi no terceiro domingo de maio de 1747 ou 1748... a data precisa importa pouco, mas o fato sim. Muita gente na catedral. Os fiéis apinhavam-se defronte a imagem da “Imaculada”, trazida do seu nicho no altar e colocada no andor, pois haveria procissão. Geraldo, de joelhos, olhos fixos na imagem, rezava fervorosamente. Seu rosto vermelho contrastava com a palidez habitual. Num momento, ele ergue, rápido, aproxima-se decidido da imagem, e, num gesto de puro cavalheirismo, tira do dedo um anel que trazia e coloca-o nos dedinhos da imagem e proclama bem alto: ‘Estou noivo da Madonna”. Noivado assim a catedral de Muro jamais viu. E foi o comentário pelas ruas!...”.

Maria sempre esteve presente na vida de São Geraldo, inclusive no momento de sua morte. Assim narra Gerardo Mello Mourão, em seu livro O bêbado de Deus: “Aproximava-se meia noite, uma súbita claridade iluminou seu rosto, uma serenidade angélica cobriu seu semblante, e ele disse: ‘Fiquem todos de joelhos, a Madona está aqui’. A Virgem Maria, a noiva que recebera dele o anel de noivado naquele em Muro, foi a sua última visita na terra”.

Que Maria, mãe de Deus e nossa mãe, ajude-nos a sermos fiéis a Jesus Cristo, como São Geraldo, amando os pobres e mais abandonados.

Pe. Américo de Oliveira, C.SS.R. Reitor da Basílica de São Geraldo - Curvelo/MG



0 visualização

Basílica de São Geraldo

Site desenvolvido usando tecnologia Wix

Todos os direitos reservados.

  • YouTube
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle